Um passeio pela Régua, Covelinhas e Pinhão

Digite seu texto aqui...

O maravilhoso Vale do Douro, é lugar favorável em ser explorado por aqueles que possuem a alma romântica e gostam de se deliciar com as airosas paisagens da natureza. É o vale mágico de tradições seculares em harmonia perfeita com o rio e o seu vinho generoso.
Em Covelinhas sentimos a serenidade do lençol de água, represada pela Barragem de Bagaúste. Desafia à paixão nostálgica. Aqui podemos apanhar o comboio do Douro e saborear o percurso ribeirinho da viagem.
E, mais à frente, na vila do Pinhão, o ambiente sensual e paisagístico é intenso. A estação de caminhos de ferro e os relevos alusivos dos seus azulejos, trazem à lembrança o Douro antigo das vindimas.
Lá de cima, o miradouro de Casal de Loivos com assoberba vista para o Douro e ponte do Pinhão, são pontos do mais intenso cenário romântico.
Aqui o calor mediterrânico do Verão amadurece as uvas e aquece os corações. E no Outono as videiras proporcionam um colorido de amarelo e vermelho, com um cenário de paisagem a convidar à reflecção.

É a nostalgia, um dos sentimentos que prevalecem no ambiente mágico do vale do Douro, e a quem por ele, tem especial carinho.

Revivemos constantemente a saudade dos bons momentos de percursos e aventuras anteriores, com contínua esperança almejada no manhã, pois é aqui onde sentimos o habitat propício ao nosso equilíbrio.

Nostalgia é alma, passado, sonhos, fé no futuro; é ter dentro de nós um sufoco que suspira, que quer buscar, pegar, sentir.


A nostalgia extrai dos nossos pensamentos, acções e sensações que a alma pede, para que a vida se torne a cada segundo uma saudade em forma de desejo.

Que tenhamos a oportunidade, ainda nesta vida, de provar todos os melhores sabores que ela nos oferece, seja através de uma melodia suave, de um pôr-do-sol numa tarde de Outono, ou simplesmente, o vento cantante da natureza por entre os arvoredos a motivar-nos em recordar e viver o que precisamos de querer e sentir.