Riodades, Pesqueira - a manifestação popular da festa anual

A reafirmação da identidade do povo de Riodades
Na festa popular, que agora visualizamos no Blog em oposição ao eventos festivos citadinos com padronização de estilos de vida e hábitos de lazer, assiste-se na aldeia, ao regresso das identidades culturais do passado.
Há uma retoma da afirmação de valores e tradições face às tendências influenciadoras da televisão e indústrias culturais. Esta afirmação evidencia-se no restauro de tradições decadentes, no conhecimento da história, na preservação da religião e cultura.
O regresso às origens é um sinal evidente da necessidade de preservar as caraterísticas dum povo, num mundo que cada vez se vê mais igual, sem personalidade.

As nossas aldeias têm uma dimensão intensa, pois são as referência, base determinante da identificação dos que por cá nasceram e de cá saíram, e mesmo daqueles que cá não tendo nascido, se orgulham através da sua arvore genealogica, dos antepassados quem lá nasceram e viveram. 

O Beirão gosta muito de se identificar pela sua origem aldeã, onde habitaram os seus familiares que já cá não estão; cada aldeia tem identidade própria e história.


História com as suas crenças e superstições, hábitos próprios, a sua Igreja, as festas dos seus Santos. São as variações de aldeia para aldeia nas tradições, usos e costumes, e mais outras caraterísticas endógenas, que as identificam como únicas no seu encanto.

Aqui em Riodades sente-se uma identidade forte, caraterística adquirida ao longo de gerações, e confome podemos observar nas peças que apresento neste post, a comemoração festiva à sua Santa Padroeira, após as cerimónias religiosas, reveste-se duma invulgar alegria de toda a população a percorrer as suas ruas, ao som da Banda, cantando e dançando até se fazer muito tarde