Rancho Folclórico do Vilar, Moimenta da Beira, atuação em Riodades 13-08-2008

A cultura tradicional portuguesa neste nosso interior beirão está a resistir firmemente aos novos tempos, todavia com grande trabalho pela frente, para que hoje e no futuro se recordem as raízes das nossas populações.

Actuação do Rancho Folclórico do Vilar - Moimenta da Beira na tarde de 13-09-2008

Os gritos e as vozes das crianças que salteiam entusiasmados no largo do recinto das festas de Riodades, são abafados com a música e cantares de chegada ao palco dos elementos do Rancho do Vilar.
A alegria e o desejo duma boa actuação, foram as notas dominantes da pauta naquele preciso momento.
E as expectativas foram alcançadas: por uns bons 60 minutos o palco do recinto viveu verdadeiros momentos de cantares e danças verdadeiramente contagiantes.

A associação cultural do Vilar " Associação cultural rio Távora" soube desenvolver um trabalho exemplar de pesquisa, recolha e reconstituição, na ciência da etnografia e folclore, tornando-se numa verdadeira representante da aldeia.

O folclore na verdade abrange toda a cultura cuja fonte de origem é a popular, desde os contos, às adivinhas, lendas, passatempos, tradições, jogos e mesmos rezas. São geralmente os mais idosos a principal fonte de todo o património desta cultura de matriz popular

Este Rancho Folclórico supervisionado em 2008 pelo cidadão Helder, hoje fundido com a outra associação da mesma aldeia, identifica-se com boa precisão nesta área geográfica beirã rural, com influência do vale do Távora. Uma representação muito próxima da autenticidade de há umas boas dezenas de anos atràs, a cultura típica transmitida pelas várias gerações anteriores.

O Sr. Helder, foi a figura dominante deste agrupamento, conforme podemos visualizar nos filmes. Vivia intensamente para o sucesso e nível do seu Rancho, porém por força das necessidades económicas, teve de emigrar para a Suiça onde habita atualmente.

Foi um dos Homens que procurou salvar, recuperar e divulgar o antigo património cultural, de modo a que os vindouros, se orgulhem de ser verdadeiramente portugueses e capazes de manter as suas raízes culturais inseridas na herança social que o passado legou.

Os valores do passado e os costumes dos nossos antecedentes são o pilar mestre da identidade de uma cultura. E há-que gostar e estimar os valores que se conhecem profundamente.