Ponte do Abade, Sernancelhe, a procissão da sua festa anual

Uma Procissão diferente no universo das práticas religiosas populares e da sua representação simbólica do sagrado.  Procissão de religiosidade popular caraterística desta aldeia, do momento e sua identidade coletiva.

De aldeia par aldeia do nosso interior as festas religiosas possibilitam muitas formatações das cerimónias a estas expressões de fé, conforme observado em Ponte do Abade, onde à frente da procissão vai um grupo de bombos, e no final, após o Pálio com o pároco a banda de música com marchas religiosas.

Esta festa religiosa, como fenómeno cultural, pode ser um fértil campo de investigação histórica, revelando a vivência demarcada pelo momento em que fiz a recolha (2008) e a identidade coletiva da aldeia.

É altura, em que Ponte do Abade, se torna una num palco, sobretudo de religiosidade (já que a aldeia é dividida a meio pelo Rio Távora, condicionando a sua pertença a dois concelhos, duas freguesias, duas comarcas, dois distritos e duas dioceses).

Festas religiosas e outras são possivelmente, algumas oportunidades para confraternização e divertimento dos dois lados, e para também fornecerem importantes elementos de circularidade cultural.