Cultura popular é Património - Granjal, Sernancelhe

Cultura é todo o conhecimento assente nas crenças, nas artes, na moral, nos costumes, nas tradições, e hábitos adquiridos que passam de geração em geração, regra geral de forma empírica e que, no seu conjunto, se traduzem na identidade, ou seja naquilo que sendo comum a uma comunidade

O património cultural tradicional destes amigos do Granjal é elemento indissociável da sua identidade.

As tradições dos cânticos, os sons, as festas, os rituais, os dialectos, tão diversificados de aldeia para aldeia, a música, são uma herança cultural, transmitida de geração em geração.

São os elementos utilizados por nós homens para sobrevivermos juntos enquanto cultura e sociedade. No entanto, são elementos culturais vulneráveis. Muitos já desapareceram e outros correm o risco de se perderem no tempo. É necessário promover as mais diversas formas culturais, no sentido de as valorizar e preservar.
A tradição vocal, é memória da comunidade, com as lendas, os contos, dos dizeres, da poesia e da literatura popular.


As típicas cantigas e cantares, ainda se conservam no presente e memória de muitos. Todavia é importante salvaguardar a transmissão, para que a sua continuidade esteja assegurada.
O filme apresentado é apenas um exemplos das tradições e artes populares, que constituem o nosso património humano.
Compete a nós todos salvá-lo e preservá-lo, para que um dia a nossa identidade Beirã ainda se mantenha firme nas raízes culturais da população.

António Canotilho

Um poema de Fátima Carneiro, poeta de Sernancelhe, alusivo ao Granjal:

GRANJAL


Como eu gosto desta terra

muito encostadinha à serra
Coroada pela ermida

junto à estrada principal.

da Senhora da Aparecida

miradouro natural.


Terra de familiares
eu sinto naqueles ares
um sabor especial.
Tenho na minha lembrança

as visitas em criança
aos meus tios do Granjal

Granjal era antigamente
uma quinta simplesmente
que se foi engrandecendo.
Da Ordem de Malta seria,

antes de ser freguesia
e, até hoje foi crescendo.

O sol aquece o povoado,
espreguiça-se doirado
e, faz as pedras brilhar.
Entre carvalhos , nogueiras

castanheiros cerejeiras
vemos casas a vibrar.

junto à serra pasta o gado
lugar mais acidentado,
mais pedregoso e agreste.
O vale é bom p´ra cultura,

do Távora vem a frescura
para o trabalho campestre.

A população é ativa
e, em terra tão produtiva
o povo vai trabalhar .

Respeito, simplicidade,

orgulho, honestidade
transparece em cada olhar.

Tem a igreja e o cruzeiro
de um bom gosto verdadeiro
e, umas casas com brasão,
de uma antiga fidalguia
que ali viveu um dia
naquele lugar beirão.


Fátima Carneiro
Fevereiro 2017