A Roga de Provesende

Esta apresentação da Roga de Provesende foi gravada nas Festa vinhateiras de Favaios, concelho de Aijó, situada perto do vale do Douro, que segue o curso do rio Pinhão. É nomeada pelo vinho de moscatel, foi antiga sede de concelho, e é abastada em solares da antiga nobreza.

Em todo o Portugal, pelas diferentes regiões existem tradições endógenas, crenças e mesmo superstições, que se transmitem através das histórias, lendas, contos, provérbios, canções, danças, artesanato, religiosidade, brincadeiras infantis, dialetos característicos, festas e outras atividades culturais, que nasceram e se desenvolveram com o povo.

O Folclore é sinônimo de cultura popular e representa a identidade social de uma comunidade através de suas criações culturais, coletivas ou individuais, e é também uma parte essencial dos valores imateriais de cada região do País.
Ao longo dos anos, as diferentes regiões do País criaram várias diversidades na sua cultura endógena, visível nas vestimentas, danças, festas, lendas e gastronomia.

Assim nasceu o folclore, com todo o conjunto de poesias, músicas, lendas que as pessoas passaram de geração para geração.
Assim o folclore é o modo que um povo tem para compreender o local geográfico onde vive.

Conhecendo o folclore duma região, é possível compreender melhor o seu povo. É também uma forma de conhecer em simultâneo parte de sua história.

Assim, a actuação do folclore é sempre popular e vem do saber cultural, constituindo-se numa tradição, fazendo parte do conhecimento coletivo.

Conforme o observamos através da "Roga de Provesende" é a criatividade livre e espontânea do seu povo; é a força da sua cultura popular que constroi a identidade destas gentes do Douro